Cinebiografias

A fascinação que os astros e estrelas exercem no público gera uma curiosidade natural pela vida pessoal desses artistas. Daí o sucesso das revistas de fofoca. Muitas celebridades tiveram histórias de vida tão interessantes quanto a trama de seus filmes. Por isso, o cinema faz um tributo a eles toda vez que lança uma cinebiografia (ou biopic).

A Vida e Morte de Peter Sellers

Peter Sellers ficou reconhecido pelo seu talento com a comédia, principalmente no filme Um convidado muito trapalhão.  Por ser um grande humorista, ele ficou marcado na história do cinema pelos filmes divertidos que fazia. Entretanto, sua cinebiografia mostra que, na vida pessoal, Sellers era menlacólico e mentalmente instável.
Geoffrey Rush interpreta Sellers e Charlize Theron, uma de suas mulheres, Britt Ekland, a Bond Girl de  007 Contra o Homem com a pistola de ouro (“Man With The Golden Gun”).

petersellers

A Vida e Morte de Peter Sellers (“The Life and Death of Peter Sellers”) – Direção: Stephen Hopkins, 2004, Inglaterra.

007 Contra o Homem com a pistola de ouro (“Man With The Golden Gun”) – Direção: Guy Hamilton, 1974, EUA.


Sete dias com Marilyn
Esse filme não é uma cinebiografia, mas conta um pequeno pedaço da vida de Marilyn Monroe. Em seus livros “The Prince and the Showgirl” e “My week with Marylin”, Colin Clark narra ter se relacionado com Marilyn durante as filmagens de O Príncipe Encantado (“The Prince and the Show Girl”), quando ela ainda era casada com Arthur Miller. Ela era a estrela do filme e ele o assistente de direção em seu primeiro trabalho.
Marilyn é muito bem interpretada pela atriz Michelle Williams, que construiu uma personagem frágil e insegura (tanto em suas relações, quanto em seu trabalho) consistente com a imagem que fazemos de Marilyn.
Sete dias com Marilyn é uma homenagem não somente ao cinema, também a todos os elementos que o constituem: os estúdios, os atores, os técnicos, os prazos, etc. Além disso, o filme é um retrato sensível do mito, Marilyn Monroe.

michelle01Sete dias com Marilyn (“My week with Marilyn”) – Direção: Rob Epstein e Jeffrey Friedman, 2013, EUA
O Príncipe Encantado (“The Prince and the Showgirl”) – Direção: Laurence Olivier, 1957, EUA- Inglaterra.

Mamãezinha Querida

O filme conta a história da conturbada relação entre a atriz Joan Crawford e sua filha adotiva, Christina. Crawford ficou famosa no cinema mudo, fez a passagem para o cinema falado, ficou esquecida e depois retornou. Ela é uma lenda de Hollywood.
Porém, após sua morte, Christina publicou um livro que denuncia os abusos físicos e emocionais que ela sofreu com a mãe, uma mulher controladora, histérica e instável. Mamãezinha querida (“Mamãezinha Querida”) é a adaptacão para o cinema da autobiografia de Christina. Faye Dunaway interpreta Joan Crawford, numa interpretação que gerou críticas positivas e negativas. O filme ficou conhecido pela cena em que Dunaway como Joan Crawford tem uma crise histérica ao encontrar cabides de ferro e grita: “No wire hangers!” (“Sem cabides de ferro!”).
O irônico é que um dos papéis mais marcantes de Joan Crawfort foi o de Mildred Pierce, em Alma em Suplício (“Mildred Pierce”), no qual ela intepreta uma mãe que faz grandes sacrifícios pela sua filha.

Mamãezinha querida (“Mamãezinha Querida”) – Direção: Frank Perry, 1981, EUA.
Alma em Suplício (“Mildred Pierce”) – Direção: Michael Curtiz, 1945, EUA.

Lovelace

Lovelace é a história da atriz pornô Linda Lovelace, famosa por protagonizar Garganta Profunda (“Deep Throat”). O filme mostra que Linda sofreu anos de violência doméstica e só participou de filmes pornográficos porque foi obrigada pelo ex-marido.lovelaceseyfriedLovelace – Direção: Rob Epstein e Jeffrey Friedman, 2013, EUA.
Garganta Profunda (“Deep Throat”) – Direção: Gerard Damiano, 1972, EUA.

 Chaplin
O maior ícone do cinema mundo também ganhou uma cinebiografia, em 1992. Chaplin é uma das figuras mais conhecidas e imitadas do mundo, por isso, o trabalho de Robert Downey Junior, no papel título, foi tão aclamado. Sua interpretação foi tão semelhante a Chaplin que ele acabou sendo indicado aos prêmios do Oscar e Golden Globes como melhor ator. Ele ganhou o BAFTA de melhor ator naquele ano.downeychaplinChaplin – Direção: Richard Attenborough, 1992, EUA.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s